Mais do velho Buk. Apreciem sem moderação, beats.

Feliz Aniversario, Buk!

16 de agosto de 1920. Dia em que o mundo concebeu de seu ventre Henry Charles Bukowski Jr, o Hank, o velho safado, aquele beberrão, o amante de todas as ‘Evas’ da terra.

De alemão só puxou o nome.

Bukowski começou a escrever poesias aos 15 anos mas seu primeiro livro somente foi publicado 20 anos depois em 1955. Em 1962 estreou na prosa caracterizada pela descrição de sua vida pessoal. Escreveu, entre outros livros, “Mulheres”, “Hollywood” e “Cartas na Rua”.

 Iniciou assim uma vida errante, bebendo em excesso e escrevendo alucinadamente. Os produtos destas noites e mais noites de trabalho eram enviados para as mais diversas publicações literárias independentes dos Estados Unidos, mas quase sempre recusados. Teve Ernest Hemingway e Fiódor Dostoiévski como principais influências. Com o escritor russo, aprendeu: “Quem não quer matar seu pai”?. O complexo de Édipo rodeia Chinaski por toda a obra: “Ele” é o cara sacana, “Ele” é o responsável por seu sofrimento, “Ele” merece morrer. Esse ódio por seu pai (na realidade um alcoólatra violento) permeia toda a obra do velho “Buk”. Essa capacidade de transformar o dia-a-dia em poesia, de pegar as bebedeiras triviais, as angústias adolescentes e transformá-las em arte é a mágica de Bukowski.

 Repulsa, nojo, ódio, amor, paixão e melancolia. Esses são alguns dos sentimentos que mais inspiraram Charles Bukowski, alemão que passou a vida nos becos dos Estados Unidos, na composição de toda sua obra. Cada poesia, cada romance e cada conto do escritor traz um pouco da vida do “Velho Safado”, como ficou conhecido no mundo inteiro.

 Bukowski tem sido erroneamente identificado com a Geração Beat, por certos temas e estilo correlatos, mas sua vida e obra nunca mostraram essa inclinação. A cidade de Los Angeles, suas ruas e atmosfera, foram sua principal influência, tratando de histórias com temas simples, misturando por exemplo corridas de cavalo, prostitutas e música clássica. Ele escreveu mais de 50 livros, sem contar milhares de publicações baratas.

 Uma de suas principais atividades durante anos foi a leitura de suas poesias em universidades e eventos culturais. Sua leitura debochada às vezes provocava escândalos e brigas com a plateia, algumas delas registradas em áudio. Já nos anos 1980, Bukowski desfrutou de certa fama, convivendo com artistas e tornando-se uma celebridade. Ele morreu de leucemia aos 73 anos, em 9 de Março de 1994, e em seu túmulo se lê “Don’t Try”, “Não Tente” em português.


 



Inspire-se em seus livros. Aprenda com o velho Buk, que tá lá em cima (ou em baixo) com uma cerveja gelada te esperando para contar histórias. #AlmaBeat

Sabia que tinha alguma coisa fora do lugar em mim. Eu era a soma de todos os erros: bebia, era preguiçoso, não tinha um deus, ideias e nem me preocupava com política. Eu estava ancorado no nada, uma espécie de não-ser. E aceitava isso. Eu estava longe de ser uma pessoa interessante. Não queria ser uma pessoa interessante, dava muito trabalho.
#CharlesBukowski  #AlmaBeat

2 notas

Semana cheia de luz, beats. “It’s the next best thing to be.”

Semana cheia de luz, beats.

“It’s the next best thing to be.”

Ah! Esta noite o #AlmaBeat paira nos ares, sons, cheiros e sensações psicodélicas (e mais excitantes também) de Woodstock. Paz e amor, beats!

Ah! Esta noite o #AlmaBeat paira nos ares, sons, cheiros e sensações psicodélicas (e mais excitantes também) de Woodstock. Paz e amor, beats!

1 nota


"Então, um dia comecei a escrever, sem saber que estava me escravizando para o resto da vida a um senhor nobre, mas impiedoso. Quando Deus nos dá um dom, também dá um chicote - e esse chicote se destina exclusivamente à nossa autoflagelação."


#TrumanCapote  #AlmaBeat

1 nota

"Você é um homem de paixões exaltadas, um esfomeado que não sabe direito seu apetite, um homem profundamente frustrado tentando projetar seu individualismo contra um fundo de rígido conformismo. Você existe num semimundo suspenso entre duas superestruturas, uma de auto-expressão outra de autodestruição. Você é forte, mas tem uma falha, e, a não ser que aprenda a controlá-la, a falha acabará mais forte e o derrotará. A falha? Reação emocional explosiva, desproporcional ao motivo. Por quê? Por que esta ira desarrazoada diante dos que estão felizes e satisfeitos – este desprezo cada vez maior pelas pessoas e o desejo de magoá-las? Está certo, você pensa que são tolas, que as despreza por sua moral, a felicidade delas é a origem de sua frustração e de seu ressentimento. Mas são horríveis inimigos que leva consigo: com o tempo tão destruidores como balas. Mas as balas, felizmente, matam suas vítimas. Esta outra bactéria, deixada envelhecer, não mata um homem mas deixa em seu rastro o casco de uma criatura arrasada e torcida. Ainda há fogo em seu ser, mas o mantém vivo alimentando-o com os vermes do desprezo e do ódio, os bichos da terra. Pode acumular com sucesso, mas não acumula sucessos, pois é seu próprio inimigo e não lhe é permitido desfrutar de suas conquistas.”

Carta de despedida deWillie Jay.

#Livro: A SANGUE FRIO, de TRUMAN CAPOTE.



Buenas tardes, beats! O que você fez hoje para mudar seu dia? Contribua para a sua reviravolta, tenha a #AlmaBeat
Buenas tardes, beats! O que você fez hoje para mudar seu dia? Contribua para a sua reviravolta, tenha a

Consegue entender?

"Rabisque cadernos secretos e páginas loucamente digitadas, para a sua própria alegria (…) Na fixação do transe sonhe com o objeto que está perante você (…) Elimine asinibições literárias, gramaticais e sintáticas” e (…) Se esforce em esboçar o fluxo que já existe intacto na mente."

#JacKerouac #AlmaBeat